O presidente da Comunidade dos Municípios da Região de Campo Mourão (Comcam), Leandro César de Oliveira, convocou uma reunião de urgência na manhã deste domingo (23) com prefeitos para discutir ações de enfrentamento ao coronavírus (Covid-19), que serão implementadas a partir desta semana. O encontro, online, reuniu 18 dos 25 prefeitos da região. O tema da reunião focou principalmente a possibilidade de lockdown nos municípios. O prefeito de Campo Mourão, Tauillo Tezelli, já anunciou que adotará a medida.

Durante a reunião, ficou definido que a entidade encaminhará uma recomendação a todos os 25 municípios da região para que adotem a medida para conter a disseminação do vírus. O documento será enviado, inclusive ao Governador do Paraná, Ratinho Junior. A ação tem o apoio de médicos das Santas Casa de Goioerê e Campo Mourão, além dos Comitês de Crise dos municípios, que atuam na linha de frente contra a Covid.

“Dói muito para o prefeito uma decisão desta. Mas dois mais ainda um cidadão pedir uma vaga na UTI e não ter o que fazer. Eu concordo com que Campo Mourão vai fazer. A sociedade está vendo que se faz necessária esta atitude”, falou Oliveira.

Em Campo Mourão o lockdown será dos dias 27 a 30 deste mês. Com a medida, todo o comércio, incluindo mercados e empresas do ramo da construção civil não poderão funcionar no período. Apenas indústrias continuarão.  Já do dia 31 de maio a 6 de junho, todas as lojas continuarão proibidas de atendimento presencial ao público, mas estarão autorizadas a funcionarem no sistema delivery.

O prefeito de Peabiru, Júlio Frare aprovou a medida adotada por Campo Mourão e disse que deverá acompanhar. “Temos que acompanhar o Tauillo. Se ele fecha e Peabiru e Araruna não, o fluxo de pessoas vem tudo para nossas cidades”, afirmou. O prefeito de Iretama também reconheceu a medida como importante. “Somos parceiros e faremos o que tiver de ser feito”, disse.

Todos os prefeitos que participaram do encontro estão bastante apreensivos com o momento. Em Boa Esperança, por exemplo, o prefeito Joel Buscariol teve de recorrer a municípios vizinhos para emprestar cilindros de oxigênio. “Ontem morreu uma pessoa na UPA”, informou. O prefeito de Mamborê, Ricardo Radomski, disse que o aumento de casos confirmados no município mais que duplicou nos últimos dias. “Alguma coisa precisa ser feita com urgência”, pediu.

Fila de espera por leitos

O chefe da 11ª Regional de Saúde de Campo Mourão, Eurivelton Wagner Siqueira, participou da reunião. Ele apresentou números preocupantes da Covid na região. Na área da Regional, 46 pessoas aguardam por vagas, sendo 22 por UTI e 24 enfermaria. Na macrorregião noroeste, que engloba regional de Campo Mourão; Umuarama; Cianorte; Paranavaí; e Maringá, são 190 pacientes na fila de espera: 71 por leitos de UTI e 119 por enfermaria.

“Ontem (sábado), tivemos dificuldades de oxigênio em Goioerê, Mamborê e  Boa Esperança. Estamos triplicando a testagem na população que está demonstrando que de cada 2 pessoas uma está infectada. Ou seja, a circulação está muito forte. Temos que quebrar esta circulação. Sabemos que as medidas são amargas. Mas não tem jeito”, falou.

Prefeitos no encontro

Participaram da reunião os prefeitos: Leandro Oliveira (Araruna); Alexandre Donato (Corumbataí do Sul); Adão Aristeu (Rancho Alegre D’Oeste); Vivaldo Lessa (Roncador); Edmilson Moura (Terra Boa); Rafael Bolacha (Moreira Sales); Fabio Dalécio (Ubiratã); Edenilson Miliossi (Barbosa Feraz); Tauillo Tezelli (Campo Mourão); Same Saab (Iretama); Ismael Dezanovisk (Janiópolis); Betinho Lima (Goioerê); Oclecio Meneses (Farol); Julio Frare (Peabiru); Milton Luiz Alves (Campina da Lagoa); Joel Buscariol (Boa Esperança); Leonardo Romero (Quinta do Sol); e Airton Agnolin (Nova Cantu). O presidente da Amocentro, Maicol Geison Callegari Barbosa, prefeito de Pitanga; e o prefeito de Guarapuava, Celso Góes, também marcaram presença no encontro.

Fonte: www.tasabendo.com.br