O ex-deputado federal Marcelo Almeida, gerou indignação e revolta a população de Mato Rico ao desmoralizar a cidade durante um quadro que apresenta na “Rádio T”, na manhã dessa quarta-feira (8).

O ex-parlamentar respondia a pergunta de uma jornalista, sobre as cidades do Paraná que ainda não tinham casos de coronavírus (Covid-19). Na ocasião, a entrevistadora citou Mato Rico, como exemplo e perguntou se Almeida conhecia a cidade, momento em que o ex-deputado começou a esculachar o município, ofendendo os moradores.

“Mato Rico é uma cidade muito, muito, muito pobre. Não é pouco pobre”, falou. Ele continuou dizendo que passou pela cidade durante uma campanha eleitoral (não citou o ano), que chegou à cidade por volta do meio dia em uma igreja inacabada com um barracão. “Tinha um sol do meio dia escaldante. E vieram servir para mim, em um pratinho de plástico, quirera com radite. E tinha muito. E todo mundo meio ranheto, nariz meio sujo, aquelas coisas. Eu falei ai meu Deus do céu. E alguém veio com uma fanta uva quente, e eu falei o que é isso, quirera de frango, radite e kisuco (sic)”

O deputado afirmou que foi a primeira vez em uma campanha eleitoral que não conseguiu comer. “Me neguei a comer. Começou a me dar um enjoo, estava muito sujo o lugar”, falou. Almeida disse ainda que Mato Rico é uma cidade que ‘tem muita gente com IDH muito baixo’ e seria ‘interessante’ estudar o fato de não ter nenhum caso de Covid.

                A TRIBUNA ouviu o prefeito de Mato Rico na manhã desta quinta-feira (9), Marcel Jayre Santos (PP), está indignado com as declarações de Marcelo Almeida. “Não dá para acreditar. É de uma infelicidade terrível a forma como ele coloca. A cidade inteira está indignada. Recebei mais de 100 áudios de moradores cobrando uma reação. E não vamos deixar isso passar”, falou o gestor.

O prefeito afirmou que já conversou com os procuradores do município e não descarta mover uma ação contra Almeida. “Ontem eu tentei um diálogo pessoalmente com ele, mas não foi possível”, falou. Santos disse que se reunirá hoje com a população, Câmara de Vereadores, lideranças do comércio e entidades representativas para definir o que será feito a respeito. “Ele [Marcelo Almeida] nasceu em um berço de ouro, deveria no mínimo respeitar a condição dos outros”, disse Santos, ao classificar a declaração do ex-deputado de “escrota”. O prefeito não soube informar quando o ex-deputado esteve na cidade. Ele disse acreditar que foi na campanha de 1998 ou 2002.

“Mato Rico não é uma cidade pobre. Temos um PIB (Produto Interno Bruto) que está alcançando R$ 90 milhões, agricultara e agropecuária pujante, além de pecuária leiteira muito forte. O menino de berço de ouro, não sabe o que está falando”, rechaçou Santos.  Ele disse ainda que o coronavírus não chegou à cidade devido às ações de enfrentamento adotadas pela administração municipal. “Estamos com mais de 60 profissionais de saúde na linha de frente fazendo um grande trabalho. A comunidade também tem entendido e mantido o isolamento. E aí vem um ‘cara’ desse falar uma bobagem desta”, lamentou.

O prefeito acrescentou que teve informação ontem à tarde de que o ex-deputado iria se retratar nesta quinta-feira. “Não sei se ele já se retratou ou se realmente vai se retratar. Mas não vamos deixar isso passar em branco. Nossa população não merece este desrespeito”, ressaltou. A TRIBUNA tentou contato com a assessoria do ex-deputado, mas não conseguiu.

 Walter Pereira  - Tribuna do Interior