A agricultura e a pecuária são atividades que geram renda e desenvolvimento socioeconômico. Em alguns locais, é comum que a rede elétrica de alta tensão cruze propriedades. Os períodos mais críticos para a ocorrência de acidentes são a colheita e a preparação do solo, quando são utilizadas máquinas de médio e grande porte e também são feitas queimadas.

Nesses períodos, é preciso redobrar os cuidados com as redes de energia, planejando as atividades para evitar os acidentes.

Em 2019, foram registrados 48 acidentes com a energia elétrica em todo o Paraná, um terço deles em áreas rurais. Doze foram fatais e 21 considerados acidentes graves. Embora desde 2011 esse número venha se mantendo abaixo de 50 ocorrências no Estado, a gravidade dos acidentes ainda é motivo de preocupação e é o foco das campanhas de segurança com a comunidade que a empresa mantém regularmente.

“Manter uma distância segura é a maneira mais efetiva de se evitar acidentes”, explica o gerente de Segurança do Trabalho da Copel Distribuição, Alessandro Maffei da Rosa. O conselho é visitar as áreas onde os trabalhos serão realizados, observando os locais onde existe rede e adequando o tamanho das máquinas para a realização dos serviço.

As dimensões das máquinas ou implementos agrícolas podem aumentar o risco de um contato acidental com os fios de energia. Há risco também quando produtores decidem realizar a poda e corte de árvores perto da linha. Em outros casos, as próprias plantações ultrapassam os limites de segurança das faixas de servidão, contribuindo para a ocorrência de acidentes.